Entrevista com Marcelo Hendler – TTM SolidWorks

Senhores, mais uma entrevista está pronta para vir ao ar. Agora com um dos TTM’s da SolidWorks que atuam no Brasil, vamos conhecer um pouco da história dele.

Kastner: Hendler, quando começaste a trabalhar com SolidWorks?

Hendler: A primeira versão na qual coloquei a mão e comecei a usar ainda no curso técnico de segundo grau (bons tempos aqueles…) foi o SolidWorks 1997. Foi uma ótima versão aquela, funcionava em Windows 95 ou NT e tinha 64MB de memória RAM como pré-requisito de trabalho.Me lembro que na época não tinha muita noção de softwares de CAD, sejam eles 2D ou 3D, e o que poderia esperar deles. Tinha apenas conhecimentos de desenho técnico e uma sede imensa de aprender aquela “nova tecnologia”. E realmente ela foi impressionante.

Kastner: Em quais empresas trabalhaste antes de chegar à SolidWorks?

Hendler: Trabalhei em algumas empresas revendas de softwares CAD/CAE/CAM na região sul do Brasil. Todas elas de alguma forma ligadas à SolidWorks e seus parceiros.

Kastner: Uma vez me contaram da sua atuação como suporte técnico a revendas na antiga distribuidora brasileira, gostaria de compartilhar conosco alguma história?

Hendler: Foi uma época na qual aprendi muito. Talvez a época na qual mais aprendi sobre software, procedimentos técnicos de suporte ao cliente e métodos de diagnóstico e correção de problemas de software. Foram dois anos (de 2003 até 2005) cheios de trabalho. Minha atividade era basicamente ser o primeiro ponto de contato de suporte técnico para todas as revendas SolidWorks da América do Sul.

Kastner: Atualmente qual é a sua atuação como Gerente técnico Territorial na SolidWorks?

Hendler: Hoje minha atuação é um pouco diferente da que exercia anteriormente como suporte técnico. Hoje, trabalho como ponto focal de auxílio técnico-comercial para as revendas da região sul do Brasil e dos estados de MG e AM. Também atuo tanto no auxílio técnico com a resolução de problemas e dúvidas destas revendas quanto também em processos de pré-vendas técnicas em empresas que queiram efetivamente avaliar a proposta da tecnoloca CAD 3D e como elas podem trazer benefícios ao seu processo de desenvolvimento de produto. Além disso, tento também assegurar que todas as pessoas das revendas envolvidas no processo como um todo de venda, implementação e suporte técnico tenham acesso às informações que necessitem. Por fim, também atuo aplicando treinamentos e certificações nos técnicos de minha região para assegurar que todos tenham o melhor nível técnico para tender nossos clientes. O Kastner conhece bem esta última parte…

Kastner: Uma vez conversamos sobre grupos de usuários de SolidWorks, como eles funcionam e quais estão em atividade no Brasil?

Hendler: Esta é outra atividade que exerço dentro da SolidWorks.

Os grupos de usuários são uma fonte de informações de alto valor para todos os membros da comunidade SolidWorks e fornece reuniões periódicas e um forum para compartilhar informações e experiências do mundo real que ajudam a nos tornar mais produtivos em nosso trabalho. Basicamente, palestras periódicas (geralmente a cada trimestre) são totalmente dirigidas pelos usuários de cada região são realizadas em cidades específicas no Brasil. Estas palestras são extremamente técnicas e mostram dicas e técnicas muito preciosas explanadas por experts no assunto e que dificilmente usuários teriam tempo para aprender em seu tempo normal de trabalho.

Hoje já contamos com grupos de usuários em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Joinville, em um total de 400 pessoas envolvidas. Estamos criando novos grupos ainda este semestre em Curitiba e Porto Alegre.

Kastner: Agora falando um pouco mais do programa, o que você acha que vem pelos próximos anos? SolidWorks Simulation, PDM, 3DVIA e outros suplementos… Como o mercado pode usar mais eles no futuro?

Hendler: Apesar de podermos chutar algumas possibilidades, é difícil prever o futuro. Mas esperamos na DS SolidWorks que as próximas releases venham agregando tantas funcionalidades e novidades de mercado quanto as últimas o fizeram. Estamos em um período que, em minha opinião, é um divisor de águas na forma em que realizamos projetos e desenvolvimentos de produtos. A tendência do mercado como um todo é que nos próximos anos, cada vez mais vejamos dispositivos móveis e interativos sendo utilizados pela engenharia na etapa de desenolvimento do produto. Falo de mouse 3D, dispositivos sensitivos a toque ou movimento, visualização 3D stereográfica, etc. Provavelmente daqui há uns dez anos, a forma na qual estamos acostumados a desenvolver produtos (com mouse, teclado e monitor somente) seja motivo de nossas próprias risadas. Da mesma forma como rimos hoje dos antigos métodos empregados há 15 anos atrás… Agora, falando um pouco do que podemos esperar ainda este ano, o que eu posso dizer é que a versão 2010 do SolidWorks deve chegar ao mercado com centenas de novidades que devem deixar o mercado CAD/CAE e seus usuários loucos de vontade de usar e testar. Digo realmente para vocês: não perdem por esperar…

Kastner: Pra mim, O SolidWorks Routing é uma valiosíssima ferramenta de trabalho para os usuários mas ainda existem poucos usuários. Existem outras ferramentas na tua opinião que possam ser mais exploradas? Por quê?

Hendler: A gama de funcionalidades e soluções que o pacote de produtos SolidWorks disponibiliza para seus usuários é muito grande. E na minha opinião existem sim muitas aplicações que poderiam ser exploradas mais a fundo pelos usuários, mas que por um motivo ou outro não são. Concordo com você que o SolidWorks Routing é um deles, mas diria que este depende diretamente do tipo de produto que a empresa produz, ou seja, algo relacionado com tubulações ou cabeamentos elétricos. Se a empresa não tiver isto em seu produto, ela definitivamente não vai usar o Routing. No entanto, existem outras ferramentas e funcionalidades que muitos usuários poderiam estar usando e simplesmente os desconhecem (estes poderiam ser exemplos e títulos de posts para seu blog… J), como por exemplo DFMXpress, FlowXpress, ferramentas automatizadas de seleção e modificação de geometrias do SolidWorks Utilities, e por aí vai. Agora, o que o mercado está realmente utilizando lá fora e em muito pouco tempo no Brasil isto estará disceminado como uma cultura de uso generalizado é a simulação de projetos. Trata-se de não somente utilizar análise e simulação no final do projeto de um produto, mas sim durante seu desenvolvimento e, sendo usado inclusive por todos aqueles que realmente tomam decisões durante o projeto do produto: os projetistas. Aí vai uma dica: em tempos de difícies como os que estamos atravessando agora, ficará na frente em seu mercado aquele que tiver os melhores produtos do mercado. E para ter os melhores produtos do mercado, tem-se que tomar as decisões certas desde o início do desenvolvimento do produto, e não somente no seu final…

Considerações Finais

clip_image002

Hendler: Gostaria de parabenizar o Guilherme Kastner pelo blog. Confesso ser leitor assíduo do site e a cada post fico surpreso com a qualidade e riqueza de informações que aqui são expostas. Por fim, gostaria também de agradecer a oportunidade por responder a esta entrevista e poder colaborar com o blog. Ficaria feliz em saber que pelo menos uma informação postada por mim nesta entrevista tenha sido interessante para cada um de vocês que estão lendo-a. Obrigado.