Software as a Service – Futuro do mercado

Senhores,

O mundo tem mudado no quesito aquisição de software e serviços mas muitas vezes nem notamos… Como fica o mundo CAD neste meio?

Internet de 2010 para hoje

Lembro quando por volta do começo da década atual o Netflix chega ao Brasil. Ele veio com algumas premissas interessantes.

  • Por uma pequena mensalidade, usaríamos um catálogo de filmes liberado ao nosso dispor
  • Ao decidirmos parar de usá-lo, nenhuma cobrança seria executada.

Paralelo a isso, surge o iPad e a popularização dos smartphones. Isso basicamente muda a nossa interação com dispositivos e serviços de forma drástica simultaneamente.

Eu, enquanto escrevia me lembrei apenas do Netflix, porém aos poucos me lembrei que surgiram aos poucos outras plataformas de serviços como Spotify e Uber.

O grande ponto, precisamos e contratamos o serviço para usá-las

Dallas 2016

No último SolidWorks Works que compareci, em 2016, foi apresentada a nova possibilidade de licenciamento de produtos da empresa, a Term license.

Basicamente o que muda?

  1. Se assina o uso do software por um período
  2. Não precisa mais de software, interrompe a assinatura

O que é diferente nesta empresa?

A existência deste tipo de assinatura não exclui a possibilidade de compra dos softwares. Quem escolhe o modelo de uso é o cliente.

Vamos analisar alguns players do mundo Cad

Autodesk

Migrou para o modelo de assinatura faz uns três anos. Nem tudo são flores afinal o desenvolvedor teve uma mudança de comportamento repentina.

Link de análise dos resultados

Onshape

A onShape foi uma empresa que não tem outro tipo de modelo de negócio a não ser a aplicação de venda de acesso por tempo determinado. Isso se deve a metodologia do produto

  • Não existe nada instalado, mas sim um acesso ao servidor
  • Os dados dos itens projetados ficam com o desenvolvedor
  • A manutenção do sistema e infraestrutura fica a cargo do contratado

Essa empresa nunca nasceu para fornecer um produto, mas um serviço. Por isso a assinatura faz mais sentido.

SolidWorks

A SolidWorks viu que o mercado passou a mudar o modelo de fornecimento de softwares, porém não queria um movimento tão abrupto quanto o de outros concorrentes como Autodesk.

A metodologia se assemelha a da Microsoft, onde o usuário escolhe como deseja ser atendido. Estranho, né? Então vejam as imagens abaixo

Da SolidWorks, como no exemplo da Microsoft, foi apresentado conforme na imagem abaixo

Conclusão

A SolidWorks decidiu que o cliente terá a razão e decidir o que melhor se encaixa a sua realidade. Se o mercado mostrar que o modelo de assinatura é o mais atrativo, aos poucos o modelo anterior poderá ser descontinuado. Caso a assinatura for refutada, fica como já é a realidade deles.

Quem viver verá

Sds,
Guilherme Kastner